noticia / usuarios-de-plano-de-saude-cobram-melhor-atendimento-em-sao-paulo

Usuários de plano de saúde cobram melhor atendimento em São Gabriel

Usuários de plano de saúde cobram melhor atendimento em São GabrielAtendendo o clamor da população, por proposição dos vereadores Jeferson Tomazoni (PMDB), Juninho Gazineu (PSDB), Odair Junior (PMDB) e Valdecir Malacarne (PV), a Câmara de Vereadores de São Gabriel do Oeste realizou na noite desta terça-feira (25) uma audiência pública para discutir os problemas enfrentados pelos usuários de plano de saúde no município e apresentar soluções para garantir um atendimento de qualidade aos usuários. 

Segundo os vereadores, a maior problemática está na ausência de um lugar específico para atender os usuários de planos de saúde nos finais de semana, à noite e feriado o que tem sobrecarregado o hospital municipal da cidade. 

A empresária Deolinda de Oliveira Veloso, por exemplo, que é usuária Unimed disse que quando precisa de uma emergência corre para o Hospital Municipal. "Os planos de saúde aumentaram o valor cobrado nas mensalidades, mas em contrapartida não estão nos oferecendo um serviço ideal. Acredito que temos que dar este grito e espero que melhore", comentou. 

Já a professora Lucinéia Costa de Oliveira, usuária Cassems reclamou de ter que se deslocar para Campo Grande em busca de atendimento. "Se colocamos no papel os custos de hospedagem, alimentação, diária de trabalho, riscos corridos na BR, combustível, percebemos que estamos ficando no prejuízo", enfatizou.

 Apresentando a quantidade de pessoas conveniadas aos planos de saúde em São Gabriel do Oeste, o vereador Jeferson Tomazoni disse que estão todos preocupados com a situação, uma vez que os conveniados acabam disputando vaga no hospital municipal com os usuários do SUS. "Estamos iniciando esta discussão, pois acreditamos que há a viabilidade de instalação de um hospital que atenda convênios aqui, tendo em vista que há demanda", frisou. 

Conforme Tomazoni, São Gabriel possui convênio com as seguintes operadoras de planos de saúde: (Unimed - 2.650 associados), Cassems (aproximadamente servidores públicos estaduais 250 titulares), Pax Primavera (três mil associados) e Pax Real Med (832 associados).

 Para tentar achar uma solução conjunta, foram convidados os diretores da Unimed e Cassems, representando as demais operadoras. Em suas falas, os representantes das duas entidades demonstraram preocupação em resolver o problema. Na audiência, a Cassems fora representada pelo gerente regional, Paulo Alves de Soura e a Unimed pelo gerente executivo, Jeferson Alcântara Antunes.

 Presente no encontro, o prefeito Adão Rolim, parabenizou a Câmara pela iniciativa, declarou parceria, mas reclamou da falta de investimento por parte do governo federal. "Nós gestores sofremos com financiamento, pois conseguimos recursos para construção e melhorias, mas não para o custeio. Com isso acabamos investindo bem mais do que os 15% estabelecidos por lei", explicou.

 Seguindo a mesma linha de raciocínio, o deputado estadual Junior Mochi (PMDB) salientou a importância de uma adequação urgente para melhorar a distribuição dos recursos repassados aos municípios e consequentemente ampliar os investimentos em saúde. "De tudo o que o país arrecada, a União fica com aproximadamente 60%, os governos estaduais com 25% e os municípios com 15%, por isso é tão difícil ser gestor municipal atualmente. No Mato Grosso do Sul mesmo, não tem nenhum município que invista em saúde menos que 20%, o governo do estado 12% e a União não tem valor estipulado".

 O secretário de Saúde Frederico Marcondes Neto apresentou um relatório de atendimento da rede pública de saúde para os presentes. De acordo com o relatório apresentado foram realizados quase 64 mil atendimento no Hospital Municipal, aproximadamente 15 mil atendimentos mensais. "Nós podemos fazer uma parceria interessante com os planos de saúde. O que tem que ser feito mesmo é viabilizar um hospital para o atendimento dos planos, já que o SUS não suporta a demanda existente hoje no município", relatou Frederico.

 Segundo dados a Secretária de Saúde do município, hoje São Gabriel do Oeste investe 23% do orçamento em Saúde Pública, isso é mais que o mínimo estabelecido por lei de 15% mensal. Ao fim da audiência foi formada uma comissão representada por integrantes do poder público, sociedade civil e representantes dos planos de saúde. Dentro de quinze dias haverá uma nova reunião para discutir o problema e buscar soluções viáveis.

 No final da audiência, foi montada uma comissão formada por médicos do município, diretoria da Cassems, Unimed e demais planos de saúde, além de vereadores, secretário municipal de saúde Frederico Marcondes Neto (Fred), deputado estadual Junior Mochi e três usuários, que deverão se reunir dentro de 15 dias para tentar equacionar o problema, seja construindo um novo hospital em parceria para atender os conveniados ou auxiliar no custeio dos plantões médicos e servidores no Hospital particular São Francisco, apresentado como sugestão para realizar os atendimentos.

 Fizeram-se presentes diversas autoridades, dentre elas os vereadores Leocir Montanha, Rosmar Alves, Ivone Pierezen e o presidente da Câmara, Marcos Paz. A composição da mesa de autoridades contou com a presença do Prefeito Municipal, Adão Rolim; o deputado estadual, Junior Mochi; o Secretário Municipal de Saúde, Frederico Marcondes Neto; o Gerente Executivo da Unimed, Jeferson Alcântara Antunes e o Gerente regional da Cassems, Paulo Alves de Souza; além dos vereadores propositores da audiência. (fonte: id


Categoria: Notícia

Publicado em:

Cadastre-se

Cadastre-se e receba nossos informativos relacionados.

By Redbit