noticia / teste-de-saliva-pode-prevenir-cancro-da-mama

Teste de saliva pode prevenir cancro da mama


 

Um teste à saliva que analisa o ADN pode ajudar os médicos a detetar cancro da mama antes da mamografia.

 

Cientistas alegam que podem ser capazes de detetar cancro da mama e milhares de mulheres através de uma simples amostra da sua saliva.

Foi lançado um novo projeto de investigação que se foca na análise aos genes através da saliva, permitindo aos médicos determinar qual a probabilidade que cada paciente tem de desenvolver cancro ao longo da sua vida.

Como reporta o Daily Mail, o projeto encabeçado pelo professor Gareth Evans, diretor científico do Genesis Breast Cancer Prevention, em Manchester, sequencia o ADN e pode ajudar a reduzir a necessidade de mamografias para diagnosticar o cancro da mama.

Como sublinham os cientistas, esta investigação pode fazer alterar a forma como o Sistema Nacional de Saúde norte-americano realiza o plano de prevenção. Em vez de toda a população feminina ter de fazer uma mamografia a cada três anos, teriam uma indicação do seu nível de risco pessoal baseado no seu ADN e fariam uma mamografia inicial.

 

Depois poderia ser implementado um plano de monitorização personalizado dependendo do nível de risco da mulher. Fazendo com que as mulheres com menos risco tivessem de fazer menos check-ups e com que as com um risco elevado fossem seguidas mais de perto.

Cientistas alegam que podem ser capazes de detetar cancro da mama e milhares de mulheres através de uma simples amostra da sua saliva.

Foi lançado um novo projeto de investigação que se foca na análise aos genes através da saliva, permitindo aos médicos determinar qual a probabilidade que cada paciente tem de desenvolver cancro ao longo da sua vida.

Como reporta o Daily Mail, o projeto encabeçado pelo professor Gareth Evans, diretor científico do Genesis Breast Cancer Prevention, em Manchester, sequencia o ADN e pode ajudar a reduzir a necessidade de mamografias para diagnosticar o cancro da mama.

Como sublinham os cientistas, esta investigação pode fazer alterar a forma como o Sistema Nacional de Saúde norte-americano realiza o plano de prevenção. Em vez de toda a população feminina ter de fazer uma mamografia a cada três anos, teriam uma indicação do seu nível de risco pessoal baseado no seu ADN e fariam uma mamografia inicial.

Depois poderia ser implementado um plano de monitorização personalizado dependendo do nível de risco da mulher. Fazendo com que as mulheres com menos risco tivessem de fazer menos check-ups e com que as com um risco elevado fossem seguidas mais de perto.


Categoria: Notícia

Publicado em:

Cadastre-se

Cadastre-se e receba nossos informativos relacionados.

By Redbit